sexta-feira, 15 de abril de 2016

Minha Posição II - Nosso Desafio I

Há algo que escrevi que me surpreendeu: quase sem-querer rabisquei uma análise da estratégia do outro e o desenvolvimento de uma própria. Julguei pertinente, mesmo com tanta coisa boa sendo produzida nestes dias tensos e intensos no Brasil - devido ao pedido de Impeachment aceito pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do PMDB (partido do atual VICE-presidente), que será votado no domingo próximo.

As circustâncias: eis que em um dos grupos de whatsapp uma pessoa compartilha algo de origem duvidosa, em seguida outra e mais uma. Na terceira, decidi reagir, mas invoquei a serenidade para me acompanhar.


Segue o que foi repassado (mas aconselho evitar ler!):

"Ultima BOMBA das ELEIÇÕES 2014 
DIVULGADO O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA!
Isso explique a razão de Marina Silva ter declarado a seguinte frase:- Se as pessoas soubessem o que aconteceu nas Eleiçoes de 2014, ficariam enojadas!. Todos os anti-nazistas ficaram chocados e tristes por assistir a maneira como o Aécio perdeu as Eleições. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e a VEJA e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.Fato comprovado:O PT COMPROU e VIOLOU as URNAS ELETRÔNICAS. Alguns ministros, Deputados do PT e a Presidenta Dilma foram avisados, às 08:00 do dia 04 de setembro(1 mês antes das eleições), em uma reunião de emergência envolvendo o Sr. José Inácio Lula da Silva (na única vez que o ex-Presidente compareceu a uma reunião no  TSE), a Presidenta Dilma, o Ministro José Dias Tofolli,  o Sr. José Maduro  Presidente da Venezuela, O Sr Gilberto Carvalho,  e o Sr. Ronald Rhovald, representante da OAS. Membros do staff da Presidenta e os e ministros permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel.A princípio muito contrariado, o Ministro Tofolli se recusou a violar as urnas eletrônicas por um grande valor em dinheiro. A aceitação veio através do pagamento total de US$7.000.000,00 mais um bônus de US$4.000.000,00 para todos os integrantes da alta corte do TSE , num total de US$ 35.000.000,00 trinta e cinco milhões de dólares) através da empresa OAS.Além disso, cada um dos sete Ministros aceitaram um depósito mensal numa off shore nas Maldívias pelos próximos 4 anos nas mesmasMesmo assim, o Ministro Luiz Fux se recusou, o que obrigou Lula a afastá-lo e colocar o Ministro substituto Teori Zavascky em seu lugar, dizendo que Fux estava com problemas simples nas costas (em primeira notícia divulgada às 15:30 no centro de imprensa).A sua situação só foi resolvida após o representante da OAS ameaçar denunciar propina paga anos antes para o Ministro, no valor de US$ 30.000 e ainda lhe garantir um depósito vitalício , no valor de US$90.000.,00 (noventa mil dólares) ao longo da sua carreira.Assim, combinou-se que o Aécio seria derrotado durante a apuração das urnas do Nordeste, porém a apatia que se abateu sobre a militância psdbista ante os resultados das pesquisas do IBOPE (também compradas) fez com que Aécio perdesse também em Minas Gerais e em Pernambuco, sem que absolutamente nenhuma violação àquelas urnas fossem feitas.O Sr. Fidel Castro, presidente de Cuba, aplaudiu a colaboração dos Ministros  brasileiros, uma vez que a vitória de Dilma trouxe equilíbrio à América do Sul num momento de crise jamais registrada naquela região, com crescente xenofobia e o reaparecimento do neoliberalismo.Garantiu, também, a Lula, através de seu filho, Lulinha, que o seu pai teria seu caminho facilitado para ser Presidente em 2018.Passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda a política! Desde já, agradeço. 
Um abraço!
Gunther Schweitzer. Central O Globo de Jornalismo.
Saiu agora! !!! REPASSANDO
Leitura imperdivel"

E minha pequenina análise - que espero contribua em algo:

- Essa última chega a ser cômica de tantos absurdos juntos. Mas agradeço o envio, pois assim podemos aproveitar para aprender apenas observando a narrativa:

1. Se começa utilizando um nome respeitável (de Marina Silva);

2. Se constrói todo o texto como se fosse jornalistico (se fosse não haveria erros bobos como o nome do presidente, espaçamentos, etc);

3. Narram-se fatos (supostos) com riqueza de detalhes como nomes com sobrenomes, horários e valores exatos para que pareçam reais.

4. O que realmente interessa que se leia está em caixa alta (a maioria das pessoas apenas "passa os olhos" por um texto mais longo);

5. O texto é encerrado fazendo referência a "não-respeitáveis", no caso, a Fidel Castro e Lulinha (sem a menor coerência), apenas para fechar com chave de ouro, aproveitando-se da rejeição que têm ao socialista aqueles que gritam "Vai pra Cuba" - a qualquer um que defenda programas sociais ou pessoas em situação de vulnerabilidade - , assim como, a Lulinha, devido o público alvo ser justamente as pessoas que leem e repassam boatos e correntes sem o cuidado de averiguação ou mesmo de uma leitura mais atenta.




Atentemo-nos amigos, pois é muito mais trágico do que cômico, uma vez que são muito textos do tipo circulando por toda a internet (num país que infelizmente ainda tem um sem número de analfabetos funcionais). É uma estratégia que pode parecer ingênua até, mas que pode derrubar uma democracia - que só nos foi devolvida enfrentando-se muito medo e muita dor, porque muitos deram o sangue, a lágrima, o suor. A alguns lhes foi permitido carregar seus traumas, a outros nem palavra, nem VIDA.

É importante lembrar. E não posso deixar de perguntar: A troco de que colocamos nossa DEMOCRACIA em jogo? Que resultado efetivo haveria? Alguém a favor do Impeachment pode me responder?
De verdade, gostaria de ouvir.
Aliás, há abertura para o diálogo? Se não há, nem adianta começar a falar.

Penso e sinto, minha gente humana, que é preciso explicar às pessoas boas (também humanas) que estão sendo manipuladas, mas para isso, também precisamos nos abrir e tentar entender o que dizem, o que as assusta tanto? Daí já temos algo em comum: algo nos assusta. É preciso então desenvolver compreensão, acolhimento, argumento que parta do antes, não da nossa conclusão - tudo isso demanda energia e tempo sim, mas tudo isso é por nós, pelos que lutaram no passado e inclusive por essas pessoas que, definitivamente, em sua maioria, não o fazem por maldade, mas pura e simplesmente por não entenderem.

É um momento bom para nos reconhecermos humanos e para nos fortalecermos.
Caetano e Gil, com a força da voz de Gal, nos realertam:

"É preciso estar atento e forte, não temos tempo de temer a morte"

...e Che nos sussurra ao coração:

"Hay que endurecer, pero sin perder la ternura jamás".


crédito das imagens: O Guri, Nat Cartoons e Carolina Ito

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Parto humanizado/a - amar e realizar


Humanizar. Esse talvez seja o maior desafio da humanidade na atualidade.

E foi justamente na Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania que fui parar este ano! Além de fazer muito sentido para mim, com o privilégio de ter Eduardo Suplicy como Secretário, o privilégio foi dobrado de poder trabalhar ao lado do meu ex-vizinho, Claudinho Silva, atual Coordenador de Políticas para Juventude de São Paulo.

Claudinho é negro, morador da favela, enfrentou duras realidades desde muito cedo, tem um coração de touro, aprendeu, lutou, abriu portas, e hoje, sou eu que aprendo com ele – e não só tenho orgulho disso, como o admiro mais. Tivemos em comum, além do bairro, a base da Associação Comunitária Monte Azul, que desenvolve um trabalho riquíssimo há mais de 25 anos ali. O que vivenciamos com ela, entre tantas e tantos profissionais incríveis, certamente nos compõem e permanecerá conosco até o fim!

No Monte Azul, também tínhamos a Associação Trópis iniciativas sócio-culturais, da qual fui “membro-fundador”, a qual posso dizer que foi minha estrutura-basilar. Nela lutávamos contra o desperdício de talentos – e ser ONG há 16 anos, era muita luta! Era pequenina ao lado da Monte Azul, mas nos potencializava! Entre os que dela faziam parte, Gil Marçal e eu entramos na Prefeitura de São Paulo e ficamos. Ele dois anos antes que eu, na Secretaria de Cultura e eu passando por algumas (Gestão, Câmara, Subprefeituras, Saúde e Serviços) no decorrer de 10 anos.

A diferença: passei num concurso de nível médio na gestão Serra-Kassab e fui efetivada. De lá para cá, foram inúmeras as vezes que concluí que deveria sair da Prefeitura, mas algo me prendia. Entendo agora que quando trabalhamos na oposição, qualquer pequena realização parece uma vitória, já quando somos situação, todas as muitas ações que desejaríamos fazer, vão se colecionando com leve sabor de frustração. Daí a frequência da minha conclusão ter aumentado talvez – somada ao fator financeiro sequelado pelos 0,01% de reajuste anual sobre um valor já irrisório e ao tempo que fiquei sem cargo "de castigo" na Saúde, durante as gest Kassab.

Mas quando a gente ama, não desiste.

Amo o potencial transformador das nossas ações, no caso, das políticas públicas. Além disso, estar na Prefeitura de São Paulo significa estar na vitrine da Administração Pública, pois o que é feito aqui pode ser visto pelos mais de 5 mil municípios deste país, ou seja, pode ter um impacto positivo indireto incalculável!

Tenho visto (aliviada!) muitas coisas boas sendo feitas pela gestão Haddad, e entre tantas, escolhi destacar esta que foi uma junção especial de forças boas, no campo macro: 02 instituições que são parte indissociável da minha trajetória se encontraram para firmar parceria fortalecendo algo mágico e lindo. A Prefeitura de São Paulo inseriu no SUS o centro de parto humanizado da Associação Monte Azul, a Casa Angêla.

Um lugar que garanta que nossas crianças sejam recebidas com amor, desde antes, mas pricipalmente durante a chegada, com o devido cuidado, é coisa rara. E que um gestor, ou melhor, três (Haddad, Padilha e Claudinho), entendam a relevância desse cuidado e atuem para torná-lo possível a mais gente, é digno de puro reconhecimento-gratidão-admiração! E não houve quem não se emocionasse!

O parto humanizado vai contra o automatismo que se instaurou com a obseção pela velocidade. O ser humano hoje entra quase que numa produção em linha, às vezes até com hora marcada para nascer, como se fosse coisa, como se os processos naturais não tivessem sua real importância (de maturação, de experienciação). No entanto, depois, não se deixará de questionar a falta de humanidade. Não é óbvio que há algo muito equivocado?

É curioso perceber o quanto o tempo virou um tormento, a necessidade de fazer mais com menos nos tornou pessoas dissociadas do tempo natural. Tenho várias frustrações que vem disso (porque sempre quero colocar mais do que cabe!), não obstante, fui trabalhar justo onde sentimos que tudo demora mais, mas não é só porque o Estado é lento, mas também porque as coisas têm seu tempo, da constatação de um problema à solução dele há todo um trajeto.

E de umas semanas pra cá, vendo os resultados do que talvez há dois ou três anos foi desejado, entendo melhor isso e posso dizer que me sinto FELIZ com nossa gestão! Ainda pretendo sair da PMSP um dia, mas fico mesmo feliz e agradecida de fazer parte dela hoje! =)

Sim, não são só flores, os desafios são constantes, mas vamos aprendendo com eles. Aliás, houve momentos no ano que estive a ponto de pedir exoneração, no último me apeguei à oração de São Francisco – e foi justamente ela que cantamos, numa energia magnífica, de mãos dadas, Prefeitura e Monte Azul juntas! 

Sei que muita gente me vê como idealista e sonhadora, às vezes parece sonho mesmo, mas o que vejo é que é possível. A questão é que gosto de amar e realizar. E as ações não só acontecem, elas nos trasnformam e fazem desejar continuar. São como filhos! É fácil não, mas sempre se chega a alguma satisfação.

***

...E já quase findado este ano-duro, me chega hoje um novo desafio intersecretarial, que não fui capaz de recusar! Amo as pessoas e o que faço (trabalhar no Plano Juventude Viva), assim como o espaço na sua magnitude, no sentido de cada "caixinha" de luta que compõem a SMDHC, mas, se tudo der certo, em breve chego ao lugar que talvez seja mesmo o meu destino neste intenso trajeto.

Parto com o coração partido, de verdade, com imenssíssima gratidão às pessoas que ali me acolheram, mas ao menos, aprendi um pouco mais e é certo: parto mais humanizada ainda! :´)

domingo, 26 de outubro de 2014

EU MARINEI, E AGORA?

 É impressionante como a gente muda com o passar dos anos, mesmo sem deixar de ser quem se é. Elas mudaram, eu também.
Em 2010 votei em Marina Silva para presidente. Ouvi muitas coisas que faziam sentido. Ela era a união do que queríamos: uma pessoa sensível às causas sociais, contra o lado ruim da política (como a descontinuidade de programas e alianças com as velhas raposas – aquelas que gostaríamos que entrassem em extinção, mas que sabem não largar mão do poder um dia conquistado). Era uma pessoa preocupada e comprometida com as questões ambientais, aberta a tecnologias e soluções alternativas; entendia as necessidades dos pobres, exemplo de quem sabe da importância da educação para eles. Era tudo isso que víamos em Marina, era o que ela representava.
Mas campanha se faz com pesquisas, certo? Sim, não tem tanto segredo quanto parece. Se reparar o esforço é sempre voltado a conquistar uma determinada parcela.
Qual era a crítica feita  Marina? Que ela só se preocupava com o Meio Ambiente. Onde teria mais rejeição? No agronegócio. Quem poderia rejeitá-la? A classe mais rica por ela ainda parecer de origem pobre, apesar de ser culta. O que você enquanto marketeiro (ou interesseiro) aconselharia para que ganhasse as eleições? Que ela se abrisse diálogo com eles, visse as coisas por outra ótica, fizesse concessões?
Penso que houve tempo para essas mudanças, podem dizer que quero apenas me auto confortar, mas não acredito mesmo que ela fosse uma farsa 04 anos atrás e sei que muitos que votaram como eu, devem sentir o mesmo. O que aconteceu?
Acredito mesmo que as pessoas mudam, e não acho que seja ruim. Acho bom, desde que não se perca a essência. Não se pode ser tudo ao mesmo tempo. Muita coisa é relativa nessa vida. Muita coisa precisa ser debatida, melhor compreendida. Mas há coisas que são ou não são.
O que constatei foi que este ano aquilo que parecia essência ficou no discurso e no cerne, só a questão: onde está a Marina que conhecíamos? Talvez ainda exista, mas certamente está perdida. Marina, você se pintou.
E Dilma?
Ora, ela parecia uma mulher de ferro, não teria a visão e sensibilidade necessária, pois queria uma locomotiva enquanto sonhávamos com um país mais humano, que se preocupasse mais com a própria vida e as pessoas. Não queríamos virar a China, nem ser eternos reféns das velhas raposas - sim, nos considerávamos “sonháticos”.
Não combinávamos em nada com aquela mulher tão pés-no-chão - ministra de Minas e Energia (que daria prosseguimento ao massacre ambiental da Usina de Belo Monte, em pleno sagrado Xingú). Votar nela era aprovar a redução de impostos para a compra de carros (e não de bicicletas, aquecimento solar, biodigestores e toda e qualquer solução ambiental). Não votei na Dilma.
Não votei, mas ela também me pareceu ter mudado – ou foi o meu olhar que mudou? Apesar da espada pendurada por um fio sob a qual o rei de qualquer nação tem que saber conviver todos os dias, apesar de todos os desafios, ela vem a nós agora como um vinho, mais madura, mais sábia, mais acolhedora (aquela mãe que não sabe escolher o filho predileto, que ama a todos mesmo com suas controvérsias). Se vê em seu olhar que grandiosa mulher se firmou. O poder não a mudou, continua analisando cada coisa antes de agir, mantendo sua essência. E fez TANTO por este país!
Fez pela Educação o que nenhum governo sem se preocupar com a classe menos favorecida faria: tornou o ensino superior algo possível para a maioria da população e foi além: investiu na pós-graduação, em bolsas de estudo, em intercâmbio. Quem é que não ensina a pescar mesmo?
Aliás, qual é a proposta do seu rival para a Educação? Mais creches, claro. É perfeito defendê-las, pois parece que está preocupado com os pobres (onde tem mais rejeição) quando na verdade defende algo essencial para os ricos: lugar para deixar os filhos dos pobres, para que eles tenham mais tempo para trabalhar.
O Programa Bolsa Família traz inúmeros benefícios para o Estado, pois além de aquecer a economia, diminuir a fome e problemas de saúde decorrentes dela, possibilita que pais fiquem com seus filhos. No entanto, a preocupação do candidato (e de quem vota nele) não é com as crianças, mas com o mercado de trabalho, em especial, o custo da mão-obra-barata – que só baixa com o aumento da oferta.
Esse é só um dos muitos aspectos que demonstra para quem cada um dos lados pretende governar. Eu marinei, mas Marina foi só uma ilusão que uniu uma multidão, e pergunto a ela (nós): o que queríamos é possível com governos do PSDB que insistem em criminalizar os mais pobres, os artistas, os que não têm nada, os que só querem fazer uso do que é de uso comum?
O Mundo mais inclusivo e humano que queremos é muito mais viável com Mais Cultura, Mais Médicos, Mais Educação, mais gente que se olha e deseja o melhor, independente de quem seja.
O pleito deste ano mostrou que os conservadores defendem Aécio porque simboliza a defesa daqueles que têm mais e temem que quem tem menos se torne visível e ganhe o que também “deveria” ser deles. Triste demais. A mídia defende Aécio fazendo parecer que o Brasil vai de mal a pior, como se não houvesse uma crise lá fora (!) pela qual passamos muito bem. Não é fácil manter um país do tamanho de um continente, que traz problemas de séculos, assim: FIRME e FORTE.
Como diagnóstico diria algo que todo mundo já sabe: a Educação é o maior problema do nosso país. Mas do mesmo jeito que o grande problema é resultado dos pequenos que foram sendo deixados de lado por décadas, não é em 04, nem em 12 anos que se resolve, é um processo, um longo processo – mas chegaremos lá, pois nosso povo é sofrido, mas também é lindo, talentoso e criativo. Brincaremos e criaremos saídas!
Resumindo: o Brasil melhorou muito, mas é certo, ainda há muito por mudar e, com participação popular, sei que poderemos voar! Eu MARINEI, e agora? Sem dúvida nenhuma, vou de Dilma!
Eu marinei por um SONHO, um sonho que não tem nada a ver com autonomia do Banco Central, muito menos com agronegócio e redução da maioridade penal.
Queremos o Índice de Felicidade Interna Bruta mais importante que o Produto Interno Bruto, porque a felicidade PRECISA ser mais importante que qualquer produto sem vida. Nosso sonho é respeito ao outro, ao amor do outro, a necessidade do outro. É ser humano e natureza em comunhão. É cooperativismo, parceria, união. Nosso sonho tem a ver com produção orgânica, com permacultura, com agrofloresta, com tratamentos alternativos naturais, – e nada, mas NADA a ver com grandes fazendas, agrotóxicos, aeroportos e cocaína. Marina, morena, você se aliou. Você pragmatizou, você se traiu.
Mas o que posso dizer? Desde o nosso último encontro conheci e reconheci muita gente boa, de dentro do PT – gente que está na luta contra os agrotóxicos e também contra os autos de resistência, defendendo os orgânicos, os gays, as cotas (!!!), sim, talvez algumas pessoas não acreditem, mas você sabe que eles existem e estão há muito nessas lutas.
Marina, eu também me aliei. Aquela Marina que sonhei e idealizei está aqui, em cada um deles. Hoje sou Nabil Bonduki, sou Simão Pedro, sou Paulo Teixeira, sou (salve!) Eduardo Suplicy, com muito orgulho, sou Dilma!
---
Aliás, Dilma, obrigada e parabéns - por ter superado expectativas e por esse seu Coração tão Valente! Sei que não vai ser fácil com esse congresso mais conservador, mas sei também que não vai decepcionar. <3>

"Amor, amor, amor...
Que amor pelo povo brasileiro!
Para fazer dessa vitória,
uma vitória da Paz!

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Toda forma de amor vale a pena - Crowdfunding

Car@ amig@, o Espaço Cultural Taberna do Soberbo e eu precisamos de você!

Levantar R$ 22 mil para pagar as pessoas que contribuíram com este sonho é o meu desafio no momento e o convido a participar deste crowdfunding com Doação de apenas R$ 22,00​ (ou mais, se possível - no link você pode pagar com cartão de crédito e parcelar o valor que lhe convir, mas se preferir, pode fazer transferência para os Bancos do Brasil e Itaú), na esperança de poder me recuperar dessa paixão sem prejudicar ninguém.



Tudo isso porque inventei de fazer um Espaço Cultural em Teresópolis - e foi uma experiência única! Foi lindo o que fizemos, mas só aconteceu porque pude contar com todo um time e, assim como independente do resultado os jogadores da Seleção Brasileira recebem, penso que os meus também PRECISAM RECEBER. O momento é mais que difícil, mas solucionável, se puder contar com a ajuda dos amigos.

Agradeço muito se puder, pois o apoio de todos é indispensável neste momento!

Também vou disponibilizar meu currículo, pois precisarei novas fontes de renda o quanto antes. Lembrando que dou aula de espanhol, faço tradução e revisão, amo falar sobre Meio Ambiente, Administração Pública, Sociologia e Política e adoro fazer massagem - o que, modéstia a parte, faço muito bem! :) Precisando, é só chamar!!!
Ah, mas gosto mesmo é de inventar... e me engajar! E como (até demais)! rs... 
_____________________________________________________________________________

Respondo algumas questões básicas a seguir, mas se houver outras, pergunte, por favor!

- O que é um crowdfunding?
É uma solução moderna para o crônico problema da dependência de patrocínio para o investimento em projetos culturais ou sociais, um site específico onde se pode entender melhor é o Catarse, mas há outros, como o Kickante (pelo qual não optamos devido às taxas de serviço). 

- O que ganho com isso?
Nesse tipo de arrecadação muitas vezes há contrapartidas com brindes e materiais de acordo com o valor pago e gostaríamos de oferecer ingressos para a próxima temporada da Taberna do Soberbo, no entanto, como não é certo que acontecerá, não podemos nos comprometer. Mas havendo, a lista de colaboradores certamente será tida em conta, podem cobrar!
De qualquer forma, quando investimos em arte e produção cultural, ganhamos todos, sem sobra de dúvida! ;)

- Como posso saber mais?
O Espaço Cultural Taberna do Soberbo nasceu da possibilidade de se aproveitar o movimento gerado pela Copa do Mundo em Teresópolis, cidade sede da CBF, para unir o calor e aconchego humanos às belezas da natureza e artes. Não conseguimos patrocínio e decidi fazer nada raça, na fé. Não tive o retorno financeiro desejado, mas fiz questão de ir até o fim, com 45 DIAS DE PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA, pois fortalecíamos uma movimentação cultural nova na cidade e geramos uma sequencia de preciosos encontros - que se superavam em qualidade e demasiada satisfação!

Você encontra um relato pessoal meu em: Taberna do Soberbo
E pelos vídeos também pode entender melhor a proposta:



e sua essência:



- Para onde vai meu dinheiro?
Seu dinheiro será destinado exclusivamente para o pagamento de pessoas físicas que trabalharam ou emprestaram recursos para o funcionamento do espaço cultural.

Preciso de R$ 4.099 até o final de agosto, para manter os acordos já feitos e ainda tenho R$ 7.320 pendentes sem acordo, além de R$ 10.601 parcelados em mais 4 vezes de R$ 2.613 (um pouco mais em dezembro).

No total são R$ 22.020 até o final do ano.

Não estão inclusos gastos pessoais e parcelas dos empréstimos. As pessoas que emprestaram receberão uma pequena parte agora e o restante no ano que vem.

- Como posso doar?
Por meio do botão “doar” aqui ou ao final da página do nosso site: http://tabernadosoberbo.com.br



Também pode ser por meio de transferência para Bancos do Brasil (ag 0018-3 c/c 74493-x) ou Itaú (ag 0057 c/c 77120-6), ou ainda, pessoalmente, marcando um café, almoço ou cerveja - certamente será um momento bom, especial e até produtivo! ;)

- De que outras formas posso colaborar?
Escrevendo um depoimento sobre sua experiência no espaço ou comigo e compartilhando ou enviando junto com este a seus contatos, fazendo a ponte com apoiadores em potencial, disponibilizando serviços, indicando trabalhos e até mesmo mandando energia positiva! :) :) :)




Agradecemos mais uma vez – IMENSAMENTE!

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Taberna do Soberbo

É uma pequena grande história de como... me apaixonei.​

Foi num dia desses que se chega em casa ansioso para não fazer nada. Tanto que, não costumo fazer isso, mas liguei a TV. Não por acaso, ou por um acaso muito certo, uma propaganda me chamou a atenção, pois nela aparecia uma imagem (deslumbrante!) que me é muito familiar: o Dedo de Deus.




Cresci olhando para aquele monumento em toda sua grandeza. Montanha-pedra-esculpida que sempre tive como um grande pai. Era ali, naquele lugar, na casa da minha mãe, para onde as luzes de todo o mundo iam se voltar. Era esse o momento. De repente resgatei lá do fundo do baú um sonho de infância: ver aquele bar funcionando, cheio, com música ao vivo, com tudo que um espaço com uma das vistas mais bonitas do mundo pode imaginar e merecer ter.

Não queria me empolgar em vão e fui à internet conferir: de fato a Concentração Brasileira de Futebol acabava de ser reinaugurada ali no bairro vizinho, na Granja Comary. A cidade esperava 30 mil turistas. Ninguém seria capaz de conter minha empolgação. Faria um espaço cultural, sem igual! E era ao mesmo tempo a oportunidade de fazer algo lindo e a chance de pagar todas as pessoas a quem estava devendo. :)

​E assim nasceu o projeto e a proposta do Empreendimento Vista Soberba​!


Tudo na ideia me fascinava. Falei com minha mãe e ela autorizou. Chamei dois produtores que me pareciam essenciais para o projeto e começamos a tocar. Mas...
tínhamos só 45 dias de pré-produção e, ​no mundo das ideias,​tudo é mais fácil, tudo parece simples e viável. Na vida real, nada, absolutamente nada foi fácil. Mas não desistimos. No dia da inauguração boa parte chegou faltando algumas horas para abrir, tudo bem mais improvisado do que gostaria, mas ok. Funcionou. Era aquilo. E toda vez que a banda tocava, nesses 45 dias, todo o resto que não estava perfeito, eram só detalhes.


Assim como a maioria das pessoas que frequentavam o Espaço Cultural Taberna do Soberbo, eu também tinha me apaixonado por aquilo tudo: o encontro da beleza do lugar com a qualidade artística, com o atendimento diferenciado, o público, a energia revigorante que nos aquecia... era mesmo muito perfeito.

Sim, sempre há detalhes que nos atormentam, uns mais outros menos, como a máquina de cartão de crédito que funcionou 3 vezes e nunca mais. Mas o mais complicado foi o fato de não ter me apaixonado só pelo projeto, mas também pelas pessoas que trabalharam nele. Era​m​ mu​itos​, e efetivamente, não podia ter todos, pois o dinheiro que entrava era suficiente para nos manter, não para nos pagar. No entanto, também não era capaz de escolher quem deveria sair, poderia escrever sobre cada um e certamente vocês me entenderiam, mas daria um livro, por isso digo só que cada um era parte muito especial do todo.

Posso elencar ainda 4 pontos que colaboraram para que perdêssemos esse jogo:
​1. Funcionar 45 dias seguidos não nos dava o tempo necessário de parar, reavaliar e mudar estratégias, além de dias fortes terem que cobrir os custos fixos dos dias fracos;
​2​. A cultura financeira da cidade é peculiar, não podíamos cobrar nem de longe o que se cobraria em São Paulo ou mesmo no Rio de Janeiro;
​3. Não conseguimos alcançar o turista, apenas o pessoal da cidade;
4. ​Um dos produtores teve que voltar pra São Paulo e ficamos “sem capitão”.

Como não conseguimos atingir o turista em uma cidade turística? Pois é... como disse o jogador entrevistado depois da goleada que o Brasil tomou da Alemanha:

“é complicado explicar o inexplicável”

Até poderia, mas acho que não vem ao caso. Aprendi muito, muito mesmo. E amo o que fizemos. Não me arrependo. Mas não podia ter me jogado sem patrocínio. Escrevi o projeto, mas foi muito em cima, não deu tempo... Certo é que não volto a me aventurar sem recursos reais.

A questão agora é: como pagar todas as pessoas que trabalharam nesse sonho?

Usei todo o crédito que podia ter nos bancos para investir, o pouco que consegui depois disso deu para pagar parte de parte do pessoal.

Estou retomando minha vida em Sampa, onde ainda tenho meus trabalhos, estou disposta a fazer sacrifícios para arcar com os custos que o investimento me gerou, mas mesmo assim, não é suficiente. Preciso pagar essas pessoas. Por isso estou escrevendo aos amigos, num pedido de socorro mesmo.

Investimos em cultura, em algo de qualidade, e foi lindo. Tínhamos artistas incríveis, e ainda encontramos em Teresópolis mais deles, tão bons quanto, sensacionais! Foi realmente mágico. A cidade ficou encantada, engrandecida, agradecida. Pediam que ficássemos... nos enamoramos.

E acredito que fazendo isso, fazemos um bem à humanidade, pois a Arte, segundo Sartre, tem a função de aliviar a dor. E vai além, nos eleva, nos religa a nós mesmos e a algo maior que é a própria arte do universo, onde doar e receber se fundem e se tornam exatamente o mesmo movimento.

Ah, 
não é delírio meu não. Podem verificar!​
Temos página no facebook: ​ espaço taberna do soberbo​
Temos site: tabernadosoberbo.com.br
E até uma propaganda linda: ​


 ​

Amigos,
sempre me orgulhei de ​me virar só, de​ ​não depender de ninguém, mas neste momento, estou aprendendo a ser humilde e pedir ajuda. Preciso de 20 mil reais para pagar as pessoas (com bancos eu me viro), portanto,
qualquer pequena ou grande quantia será essencial e muito bem vinda.


Agradeço imensamente o socorro a este coração que se apaixona e quer sempre fazer mais!

Os dados bancários para depósito/transferência são: 
BB ag. 0018-3 c/c 74493-X ou Itaú ag. 0057 c/c 77120-6
Em caso de cartão de crédito é possível fazer ​a doação ​pelo PayPall:


Beijos e abraços
ainda 
cheios
de luz!!!

​ :)